"A repetição da votação em Marromeu, realizada no dia 22 de Novembro último, não repôs a credibilidade do processo eleitoral, tendo resultado em piores arbitrariedades", diz um comunicado distribuído pela comissão.

Os bispos católicos consideram que o escrutínio foi marcado pelo forjamento de editais na ausência de membros da Renamo e do MDM.

"Isto manifesta um claro desacato à decisão do Conselho Constitucional de retomar as eleições em moldes claros e transparentes", lê-se na carta pastoral.

A comissão exorta as instituições relevantes a trabalharem no sentido da reposição da ordem e justiça nos resultados eleitorais e à punição exemplar dos responsáveis.

A Frelimo venceu a eleição na vila de Marromue por 46 votos de diferença.

O escrutínio foi repetido em oito mesas na sequência da invalidação dos resultados pelo Conselho Constitucional devido a irregularidades.