"Faltavam cinco minutos para aterrar na vila de Mueda e, devido a problemas técnicos, aterrou de emergência", declarou Atanásio Mtumuke, em declarações a jornalistas após um evento na Presidência da República.

Na conferência de imprensa realizada pela polícia moçambicana no domingo, o chefe da repartição de informação do comando-geral da polícia moçambicana, Cláudio Langa, disse que o helicóptero se despenhou cerca das 15:00 (menos uma hora em Lisboa), quando o aparelho cumpria mais uma operação de logística das Forças Armadas de Moçambique.

Segundo Langa, não houve vítimas mortais, tendo os ocupantes (ainda em número desconhecido) sofrido ferimentos ligeiros.

"Preliminarmente, tudo indica que se tratou de uma falha mecânica, mas uma equipa de peritos da Força Aérea foi destacada para o terreno para investigar as reais causas do acidente", declarou Cláudio Langa.

A imprensa moçambicana divulgou fotos do aparelho danificado no meio de um campo agrícola nos arredores da vila de Mueda.

Em Cabo Delgado, as Forças Armadas de Moçambique, em conjunto com outras forças governamentais, realizam operações para combater grupos desconhecidos que têm estado a protagonizar ataques na província desde 2017.

Desde outubro de 2017, os ataques de grupos armados não identificados em Cabo Delgado, que tiveram origem em mesquitas, já provocaram, pelo menos, 150 mortos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.