"O Conselho de Ministros activou o alerta vermelho, particularmente para toda a região centro, pela aproximação do ciclone tropical Idai", disse a porta-voz do órgão, Ana Comoana.

Ana Comoana assinalou que o Idai é um temporal "intenso" e que requer medidas de acompanhamento, mas também de "cautela".

"Espera-se ventos fortes e trovoadas severas, representando um 'elevado risco' para pessoas e bens, descreveu.

A porta-voz do Conselho de Ministros disse que o ciclone poderá afectar 80 mil famílias, antevendo a necessidade de 1.100 milhões de meticais para o auxílio às vítimas.

Na segunda-feira, a directora-geral do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades Naturais (INGC), Domingas Maíta, disse que mais de 48 mil pessoas estão a ser afectadas pelas inundações no centro e norte de Moçambique.

As cheias destruíram totalmente 2.212 casas e danificaram parcialmente 2.024.

Segundo a mesma fonte, as chuvas inundaram 167 salas de aula, deixando fora da escola 12.192 alunos, e oito postos médicos.

Moçambique é ciclicamente afectado por calamidades naturais, com o sul a registar seca e o centro e norte cheias.