A deputada Lauriane Rossi do partido presidencial (traduzida por Cristiana Soares) integrou o desfile, apesar dele ser apolítico e explicou porquê.

Vim antes de mais como cidadã para defender a nossa democracia, as nossas instituições e a nossa república.

Somos vários parlamentares que se deslocaram cá, mas antes de mais fizemo-lo sobretudo como cidadãos, para defender o nosso Estado de direito.

Não se trata de uma manifestação da “République en marche”, mas de uma marcha cidadã apolítica e republicana.

Não viemos defender a “République en marche”, mas para defender a democracia e a república.

Um número considerável de instituições e de personalidades eleitas num plano local e nacional foram alvo de ameaças, o clima é de desconfiança.

Temos que restaurar esta confiança, faço parte desse movimento precisamente para mostrar todo o nosso apoio às nossas instituições.”

Desde 17 de Novembro que a França tem sido palco de movimentos de protesto dos “coletes amarelos” denunciando a política fiscal e económica do governo do presidente Emmanuel Macron.

Estas manifestações têm degenerado frequentemente em violência com confrontos entre manifestantes e a polícia e degradação de recintos públicos.

Um movimento que foi desencadeado pela contestação a um imposto ecológico visando os combustíveis, entretanto abandonado, e que implicou a abertura a 15 de Janeiro de um “Grande debate“, em curso até 15 de Março por toda a França em torno das reivindicações actuais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.