Na semana passada, segundo a imprensa moçambicana, os insurgentes atacaram três distritos, nomeadamente, Nangade, Muidumbe e Macomia, tendo morto sete pessoas, agravando o clima de medo e terror que se vive na região.

Para o ministro da Defesa Nacional, “a situação de ataques perpetrados por malfeitores ainda prevalecem. Esta situação é desafiante para as forças de defesa e segurança em geral, e para as forças armadas em particular”.

Falando num encontro com altas patentes militares, em Maputo, o governante disse que as forças armadas devem aprimorar a prontidão combativa, para inverter o cenário.

Entretanto, a estratégia governamental de privilegiar a componente militar no combate aos insurgentes tem sido questionada em alguns círculos de opinião, alegadamente porque não tem sido muito efeciente.

Afirma-se que a existência, na região, de muitos jovens desempregados, facilita o recrutamento dos insurgentes, com alegadas promessas de emprego.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.