“Infelizmente, os cidadãos cabo-verdianos estão a ultrapassar o limite de estada dos seus vistos de turismo a taxas significativamente mais elevadas do que a média mundial”, afirma a representação diplomática ameriana na Praia na nota.

“De acordo com o Relatório de Peramnência Ilegal de 2018 do Departmento de Segurança Interna, mais de 11 por cento dos viajantes cabo-verdianos não voltaram das suas viagens para os Estados Unidos antes do período limite de permanência autorizado (geralmente seis meses) ou não voltaram de todo”, diz a nota.

A Embaixada americana lembra que autilização indevida de um visto de turista dos Estados Unidos é uma violação grave da lei e tem consequências, como mais dificuldades que os cabo-verdianos enfrentam agora para obtenção de visto.

Cada ano, cerca de cinco mil cabo-verdianos obtêm vistos para visitar e fazer negócios nos Estados Unidos, onde radica a maior comunidade emigrada do arquipélago.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.