O processo contra o Estado, apresentado no tribunal arbitral da Suíça e datado de 14 de março, visa, em particular, a empresa Mozambique Asset Management (MAM), divulgou hoje a Privinvest.

A empresa naval Privinvest afirma que Moçambique não pagou por mercadorias adquiridas à empresa libanesa, acusando, assim, o Estado moçambicano de quebrar cláusulas de confidencialidade do acordo de fornecimento de equipamentos, que terão lesado a empresa em 200 milhões de dólares.

"Durante cerca de três meses, a Privinvest tem sido muito silenciosa face a falsa narrativa sobre as suas atividades em Moçambique, e não pretende continuar em silêncio", referiu um porta-voz da empresa, Jeffrey Birnbaum, à Bloomberg.

"A Privinvest tem sido retratada de forma imprecisa e injusta nos 'media', e agora quer esclarecer as questões", acrescentou Birnbaum.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.