Três horas antes do início da cerimónia, previsto para as 10:00 (locais), a Praça da Independência, no coração de Maputo e dominada pela estátua de Samora Machel, primeiro presidente de moçambique após a independência, recebia grupos de pessoas que pretendem assistir àquele que será um dos eventos do ano.

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente português, é o único chefe de Estado da União Europeia que vai assistir à investidura.

Da lista de presenças presidenciais constam outros dois líderes lusófonos: João Lourenço, presidente de Angola, e Jorge Carlos Fonseca, chefe de Estado de Cabo Verde, que atualmente detém a presidência da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), organização que contará também com a participação do secretário-executivo, o português Francisco Ribeiro Telles.

Ruanda, Quénia, Zâmbia, Zimbabué, África do Sul, Botswana, Maurícias completam a lista de chefes de Estado presentes.

Uganda e Guiné Equatorial terão vice-presidentes a assistir à tomada de posse.

O Governo chinês vai enviar à cerimónia Cai Dafeng, enviado especial do Presidente Xi Jinping.

Do lado português, além de Marcelo Rebelo de Sousa, participa na cerimónia o ministro dos Negócios Estrangeiro, Santos Silva, e a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro.

O ato de investidura começa com a leitura do juramento do Presidente e termina com uma tradicional batida de martelo pela presidente do Conselho Constitucional, Lúcia Ribeiro, que confere a posse.

Segue-se um discurso pelo chefe de Estado moçambicano e a cerimónia pública no centro da capital deve terminar pelas 11:20.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.