“Diante da pandemia, muitos tipos de resíduos perigosos estão a ser gerados, como máscaras, luvas, entre outros. Aproveitamos as celebrações do Dia Mundial da Diversidade Biológica para apelar a toda a população para que faça uma gestão segura de resíduos sólidos e perigosos, incluindo o lixo doméstico”, lê-se num comunicado alusivo à data.

A Governo moçambicano realça no documento o alerta do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) de que uma “gestão inadequada dos resíduos pode causar efeitos imprevisíveis na saúde humana e no meio ambiente. Por isso, o manuseio seguro e o descarte final desses materiais são vitais para uma resposta de emergência eficaz”.

O uso de máscara na via pública é obrigatório em Moçambique no âmbito do estado de emergência em vigor desde 01 de abril em todos os locais de aglomeração de pessoas como nas vias públicas, nos transportes coletivos e nos mercados informais, privilegiando as de fabrico comunitário, reservando as máscaras cirúrgicas para o pessoal de saúde.

Moçambique tem um total acumulado de 162 casos de infeção pelo novo coronavírus, sem registo de mortes e com 48 recuperados.

No Dia Mundial da Diversidade Biológica, o Governo destaca que têm prevista para este ano uma campanha de comunicação, baseada em placares publicitários com mensagens sobre o tema.

O objetivo é mostrar à população “o valor da biodiversidade e das medidas que poderão tomar para a conservar e utilizar de forma sustentável”.

Ao mesmo tempo, pretende-se “valorizar o património natural do país”.

O Dia Mundial da Diversidade Biológica sob o lema “As nossas soluções estão na natureza” foi proclamado pelas Nações Unidas e visa alertar a humanidade para a necessidade e a importância de conservar o mosaico de vida que existe no planeta.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.