“Os membros do Conselho de Segurança pedem a todas as partes envolvidas no conflito que aproveitem a possibilidade do início de um diálogo inclusivo inter-afegão e de negociações que levem a um acordo político”, refere a declaração conjunta.

“Os apelos a mais combates não fazem avançar o objetivo de uma paz duradoura”, sublinharam os 15 membros.

O grupo extremista Talibã anunciou na sexta-feira o início da ofensiva anual de primavera no Afeganistão, apesar de estarem a decorrer negociações com os Estados Unidos sobre o processo de paz no país.

Durante o anúncio, o grupo extremista, que domina quase 11% do território afegão, divulgou uma longa mensagem em cinco idiomas, na qual se afirmava que a luta continuaria enquanto as forças estrangeiras permanecessem no Afeganistão.

Os talibãs prometeram ainda lançar operações ‘jihadistas’ “com sinceridade e intenções puras”, mas apelaram aos combatentes que evitem vítimas civis.

No mesmo dia, as autoridades afegãs anunciaram que pelo menos sete forças de segurança morreram na sequência de uma emboscada do grupo, desencadeando uma longa batalha.

O grupo extremista faz há vários anos o anúncio da ofensiva anual de primavera, que consiste na intensificação dos ataques.

Os Estados Unidos e os talibãs iniciaram durante o verão de 2018 a realização de conversações bilaterais em Doha, cujo próximo ciclo está previsto para este mês.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.