"Eu recebi, sim [o pedido da Renamo] no dia 27. Prefiro levar essa questão à comissão permanente" para que decida, "porque estamos no fim da legislatura", disse aos jornalistas.

Macamo falava em reacção ao pedido feito pelo principal partido da oposição para convocação de uma sessão urgente do parlamento para esclarecimentos do Governo acerca das dívidas ocultas e ataques no Norte do país.

A presidente da AR considera que se trata de "uma questão sensível, que tem que ser tratada com responsabilidade".

"A comissão permanente dirá se é importante agendar agora" ou deixar a decisão para a nova composição do órgão, eleita a 15 de Outubro e cujos deputados devem ser empossados em Janeiro.

A presidente da AR acrescentou ainda que a questão das dívidas ocultas já foi discutida, tendo-se concluído que devia ser remetida às instâncias judiciais, onde se encontra.

"Nós ouvimos [falar do assunto] através de jornais" e de outros meios e Verónica Macamo pensa que "não se trata de coisas tão importantes do país através de 'ouvi dizer'".

"Precisamos de um pouco de serenidade", acrescentou.

Para já, a comissão permanente é a quem cabe apreciar o assunto, concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.