“Temos de redirecionar (a base dos) impostos, dos salários para o carbono. Há que taxar a poluição, não as pessoas”, afirmou Guterres, durante uma cerimónia organizada em Auckland pelo ministro neozelandês das Alterações Climáticas, James Shaw, segundo um comunicado do seu serviço de imprensa.

Guterres, que está a fazer um périplo pela Oceânia e Pacífico, onde várias ilhas-nações estão a perder terreno devido à subida do nível do mar provocado pelo aquecimento global, também propôs o fim da subsidiação dos combustíveis fósseis.

“O dinheiro dos contribuintes não se deveria usar para aumentar os furacões, prolongar as secas e as ondas de calor, destruir os corais ou derreter glaciares”, acrescentou Guterres.

Também elogiou o projeto de lei neozelandês destinado a eliminar a emissão de gases com efeito de estufa até 2045, como parte dos esforços globais para reduzir o aquecimento global até 1,5 graus centígrados até final do século.

O secretário-geral da ONU começou no domingo uma viagem àquela zona do mundo, que se vai prolongar até ao próximo dia 20, e que inclui a presença em Tuvalu, Vanuatu e Fiji, onde vai participar no Fórum das Ilhas do Pacífico.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.