As chuvas não dão trégua na província de Cabo Delgado, norte de Moçambique. A vida dos residentes já estava difícil desde o desabamento da ponte sobre o rio Montepuez, que cortou a ligação rodoviária com nove distritos, em finais de dezembro. Mas a situação ficou ainda pior a partir do fim de semana.

O aumento da bacia hidrográfica do rio Messalo, no sábado (11.01), derrubou uma torre elétrica, deixando cinco distritos do extremo norte da província às escuras: Mueda, Muidumbe, Nangade, Mocímboa da Praia e Palma.

"Está-se mal aqui. Há coisas que deixei no congelador e que já estão a estragar-se, é o meu negócio", contou à DW África Júlio Gema, residente em Palma que apela às autoridades para que tentem "por todos os meios possíveis" estabelecer o fornecimento de energia. O comerciante lamenta também o aumento do preço dos transportes na região.

Outro residente de Palma, que não se quis identificar, alerta para a especulação dos preços de produtos de primeira necessidade, motivada pelo corte na estrada Nacional 380. "Há duas semanas, o arroz rondava mil [meticais, o equivalente a cerca de 15 euros], um saco de 25 quilos, mas agora já não há stock. A situação é péssima", lamenta.

Equipa técnica no terreno

Uma equipa técnica do setor de Recursos Minerais e Energia de Cabo Delgado já está no terreno a tentar solucionar o problema. De acordo com o diretor provincial daqueles serviços, Danta Marizane, está a ser montada uma linha alternativa no troço onde ocorreu a queda da torre, prevendo-se o primeiro ensaio até ao final desta terça-feira (14.01).

"Todas as forças vivas estão a apoiar-nos no sentido de reposição da linha. Nestes distritos, temos hospitais, vacinas, nalguns casos temos painéis solares. Então, há necessidade de urgentemente repormos o fornecimento nestes distritos", explica o responsável.

Esta não é o primeira vez que o aumento do caudal do rio Messalo causa a queda de torres, interrompendo o fornecimento de eletricidade à região norte da província. A DW África questionou o governante sobre as medidas em curso para eliminar o problema definitivamente.

"A implantação de torres exatamente no leito do rio é complicada", reconhece Danta Marizane. "Há sempre chuvas que aquelas torres vão aguentando, mas estas não aguentaram. Terá de ser feito um trabalho de engenharia de modo a que se faça uma perfuração mais profunda no terraço do rio e esta estrutura sobressaia acima do nível previsto do rio Messalo", revela, acrescentando que, neste momento, se está já a fazer a reposição provisória e um estudo para ver qual é a solução definitiva para a situação.

Quatro pessoas desaparecidas

Na segunda-feira (13.01), uma camioneta que transportava passageiros de Mueda com destino a Montepuez caiu no rio Messalo. Segundo a polícia de Cabo Delgado, quatro pessoas estão desaparecidas, incluindo o condutor. Outras quatro foram resgatadas com vida.

Augusto Guta, porta-voz do Comando Provincial da Polícia, fala em "negligência" do condutor do veículo. "Chegada à ponte sobre o rio Messalo, essa viatura, por negligência do motorista, teria desafiado a fúria das águas e ao fim da ponte teria sido arrastada pela água e os passageiros, assim como o motorista, teriam ficado submersos", relata.

O porta-voz da polícia deixa ainda um apelo para que as pessoas "esperem as águas que galgaram a ponte diminuírem para poderem transitar naquela ponte sem nenhuma dificuldade."

Autor: Delfim Anacleto Uatanle (Pemba)

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.