"O projeto visa contribuir para a inclusão de meninas, meninos, homens e mulheres com deficiência na fase de recuperação pós-ciclone, através de provisão de serviços, fortalecimento do papel das associações de pessoas com deficiência", lê-se na nota da Unicef.

O projeto, hoje lançado na cidade da Beira, vai abranger 1.500 pessoas com e sem deficiência na Beira, Dondo, Nhamatanda e Búzi, distritos da província de Sofala, uma das que foi mais atingida pelo ciclone Idai.

O projeto promovido pela agencia das Nações Unidas, a ser concretizado num ano, é financiado em 75% pelo Fundo da Embaixada da Noruega e os restantes 25% pela organização ‘Light for the World’.

O ciclone Idai atingiu o centro do país em março, provocando 604 mortos e afetando cerca de 1,8 milhões de pessoas.

Pouco tempo depois, Moçambique voltou a ser atingido pelo ciclone Kenneth, que se abateu sobre o norte do país em abril, matando 45 pessoas e afetando outras 250.000.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.