"Vamos deixar a UE em 31 de outubro, com ou sem acordo", afirmou Johnson, durante uma conferência na Suíça, citado pela televisão RTS.

Johnson, candidato à sucessão de Theresa May, que hoje anunciou a demissão de líder do partido Conservador, disse que o trabalho do próximo líder no Reino Unido, "ele ou ela, é sair da UE de forma adequada e concluir o ‘Brexit’".

No fórum, Boris Johnson defendeu que deixar a União Europeia não representa qualquer ameaça para o Reino Unido e que poderia ser mantida uma "fantástica relação comercial" com o bloco, sem prejuízo de melhores laços económicos com outras economias globais.

A demissão de Theresa May da liderança do partido Conservador será formalizada na sexta-feira, 07 de junho, para que a eleição comece na semana seguinte e o processo seja concluído até 20 de julho, para quando está previsto o começo das férias parlamentares de verão.

Enquanto primeira-ministra, mantém-se em funções até que esteja em posição de dizer à rainha Isabel II quem esta deve nomear como sucessor, o qual, enquanto líder do partido do governo, torna-se também primeiro-ministro sem a necessidade de eleições legislativas.

Apesar de ter votado num referendo em 2016 para sair da UE, o chumbo por três vezes no parlamento britânico ao acordo de saída negociado com Bruxelas obrigou o governo adiar a data do 'Brexit', cujo prazo foi diferido para 31 de outubro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.