O francês Jean Todt, antigo director da Peugeot Sport e da escuderia Ferrari, foi hoje eleito presidente da Federação Internacional do Automóvel (FIA) para quatro anos, substituindo Max Mosley.

Jean Todt, de 63 anos, venceu a votação na Assembleia Geral da FIA com 135 votos, contra 49 do antigo piloto finlandês Ari Vatanen, num sufrágio em que se registaram 12 abstenções.

A vitória de Todt, apoiado pelo presidente cessante, é considerada como o triunfo da continuidade, numa federação que nos últimos 16 anos foi presidida por Max Mosley, em mandatos marcados por polémicas e divergências com as escuderias de Fórmula 1.

A FIA anunciou a 16 de Outubro que Vatanen apresentou um recurso, por considerar que havia falta de integridade da federação no processo eleitoral, mas, quatro dias mais tarde, o antigo campeão do mundo de ralis desistiu do processo.

Para o êxito do candidato francês, ligado há 43 anos aos desportos motorizados, terão contribuído os seus dotes de gestor, demonstrados à frente da escuderia da Ferrari, na qual venceu 13 mundiais de Fórmula 1, seis de pilotos e sete de construtores, entre 1993 e 2006.

Todt, que começou a sua carreira no automobilismo como co-piloto de ralis, obteve à frente da Peugeot Sport, entre 1982 e 1993, 15 vitórias e dois mundiais de ralis, dois triunfos nas 24 horas de Le Mans, e quatro vitórias no Dakar.

Na campanha para a presidência da FIA, Jean Todt prometeu reformar a federação sem revoluções, garantir um sistema de governação da FIA transparente, criar um comité de disciplina que investigue possíveis escândalos e nomear um comissário que dirija cada uma das competições.

Como vice-presidentes, o vencedor terá o norte-americano Nick Craw, o neo-zelandês Brian Gibben e o britânico Graham Stoker.

Ari Vatanen, finlandês actualmente a residir em França, foi campeão mundial de ralis, vencedor de uma taça do mundo de ralis e triunfou quatro vezes no rali Paris/Dakar.

Foi deputado no Parlamento Europeu durante 10 anos, entre 1999 e 2004 eleito pela Finlândia e entre 2004 e 2009 em representação da França, e preside à organização Mobilidade para a Prosperidade na Europa, segundo o sítio Internet da sua candidatura.

SAPO

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.