Moçambique – concurso organizado anualmente pela KPMG – ao atingir Apesar da queda do volume de negócios em 24 por cento relativamente a 2008, a Mozal manteve-se, em 2009, na liderança das 100 Maiores Empresas de Moçambique, segundo o estudo anualmente realizado pela KPMG.

Divulgado na quinta-feira, o relatório atribui um primeiro lugar isolado a esta empresa do sector da indústria, que atingiu um volume de negócios de mais de 26,259 mil milhões de meticais no ano passado, o triplo do montante alcançado pela segunda posição, ocupada pela Hidroeléctrica de Cahora Bassa, com um volume de negócios de 8,504 mil milhões de meticais.

Nas dez primeiras posições, apenas a Mozal e a Electricidade de Moçambique (EDM) mantiveram os lugares de 2008, com a última a posicionar-se em sexto lugar.

A HCB saltou para o segundo lugar depois de ter estado em quarto no ano passado; o Millennium bim subiu dois lugares; a Mozambique Leaf Tobacco subiu três lugares e a BP Moçambique caiu cinco posições, estando agora em décima.

Numa lista com poucas novidades, destaque vai para a Intelec Holdings, do ramo de energia, que saltou do 37º em 2008 para 11º este ano, com o volume de negócios a crescer 31 por cento; Empresa Moçambicana de Seguros (Mocargo) que subiu 10 posições, portanto, do 20ª para a 30ª; a Companhia Moçambicana de Hidrocarbonetos – também do sector de energia – classificada a melhor empresa de Moçambique na edição passada, variou sete posições no sentido positivo e está em 31º lugar.

A Melhor

Baseado no crescimento do volume de negócios; autonomia financeira; rentabilidade do volume de negócios; rentabilidade de capitais próprios e liquidez geral, a Mozaline, do sector dos transportes, foi considerada a melhor empresa de Moçambique em 2009, com um crescimento de 55,56 por cento do volume de negócios.

A segunda e terceira posição deste ranking foram para o Parque Industrial de Beluluane e a Cimpor Betão Moçambique, respectivamente.

Ao longo das 12 publicações das 100 Maiores empresas, a rubrica das melhores empresas foi instituida na 10ª edição, com o objectivo de premiar a empresa com melhor desempenho económico-financeiro no ano em análise, com base nos indicadores já referidos.

Marta Curto

SAPO MZ