"O presidente da CTA encontra-se totalmente recuperado, estando neste momento em quarentena, em cumprimento de recomendações médicas", lê-se num comunicado.

A instituição prevê o regresso de Vuma “ao convívio" dos associados, "muito brevemente".

O presidente da CTA foi intercetado por dois homens armados pelas 15:00 (locais) de 11 de julho, no edifício do seu escritório, na Avenida Josina Machel, junto à baixa de Maputo.

O caso está a ser investigado pelo Serviço Nacional de Investigação Criminal (Sernic).

Agostinho Vuma, 44 anos, foi eleito presidente da CTA em maio de 2017.

É membro fundador da Associação dos Empreiteiros da Cidade de Maputo onde foi presidente e esteve depois na génese da Federação Moçambicana de Empreiteiros (FME).

É deputado da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo) na Assembleia da República de Moçambique, eleito desde 2015 pelo círculo eleitoral de Gaza, sul do país.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.