Página gerada às 19:59h, domingo 21 de Dezembro

Guerra em Muxungue, Renamo e FIR em confrontos

04 de Abril de 2013, 14:18

Após a invasão da sede da Renamo pela polícia em Muxungué,Sofala, na quarta-feira, elementos da Renamo atacaram esta madrugada, quatro de Abril, o comando distrital da polícia e fizeram quatro mortos e oito feridos, disse à Lusa fonte governamental.

Arnaldo Machowe, administrador de Chibabava, disse que, em retaliação à invasão da sua sede pela polícia na quarta-feira, os guerrilheiros da Renamo fizeram um "ataque-surpresa" à Força de Intervenção Rápida (FIR) instalada no comando local.

"A Renamo atacou a FIR por volta das três horas da madrugada. E como foi ataque de surpresa, naturalmente tivemos três baixas no local e um agente morreu a caminho do hospital de Nhamatanda (Sofala). Ainda da parte da força tivemos oito feridos", disse à Lusa Arnaldo Machowe.

"Da parte da Renamo, o comandante, que conduziu o ataque, morreu aqui. O comandante chama-se Rasta Mazembe. Então, as outras baixas da parte deles, eles carregaram, mas não conseguiram carregar o seu comandante", explicou Arnaldo Machowe, que garantiu o regresso à normalidade na vila.

A polícia de Sofala atacou na passada quarta-feira a sub-base da Renamo em Muxungue, distrito de Chibavava, centro do país e deteve 15 ex-guerrilheiros aí aquartelados há duas semanas, supostamente porque realizavam "manobras militares".

"O comandante (da Renamo) foi morto exactamente quando se dirigia a uma das celas para libertar os outros detidos", contou Machowe à Lusa, acrescentando "que estavam nas celas 12 pessoas, pois, depois da triagem, se apercebeu que os outros três eram populares".

Entretanto, a população descreve um ambiente "assustador" na vila de Muxunguè, junto à estrada nacional n.º 1 (EN1), que tem vindo a assistir ao "abandono da população para zonas seguras", tornando-se "vila fantasma" pelo espectro da guerra no local.

"Só se ouvem tiros de pistolas. Não dormimos hoje, desde madrugada. Muitos abandonaram a vila e estão a ir para Chibabava ou Beira", disse à Lusa uma residente local, identificada por Marta, acrescentando que "todo o comércio está encerrado".

Para além do comércio, o Canalmoz acrescenta que as escolas estão também fechadas.

"A FIR foi provocar aqueles homens da Renamo à noite, porque iniciaram os disparos", disse á Lusa um outro residente, uma versão não confirmada pelas autoridades locais.

Esta é a primeira acção de retaliação da Renamo, desde a ocupação, na terça e na quarta-feira, das suas sedes em Muxungue (Sofala) e Gondola (Manica), no centro do país.

De acordo com o Canalmoz,durante todo o dia de ontem, quarta-feira, não havia corrente eléctrica e as redes de telefonia móvel eram constantemente interrompidas. As comunicações terão sido restabelecidas durante a noite.

@SAPO/Lusa


Comentários

Critério de publicação de comentários