Página gerada às 19:35h, terça-feira 19 de Junho

Moçambique vai comprar 7.5% das acções da HCB vendidas por Portugal

05 de Março de 2010, 13:03

Moçambique passará a deter 92.5 % das acções da Hidroeléctrica de Cahora Bassa na sequência do anúncio da venda dos 15% detidos por Portugal, que apenas ficará com os restantes 7.5% através de empresas lusas ligadas ao sector energético.

No âmbito da sua visita a Moçambique o Primeiro-Ministro português José Sócrates confirmou intenção do Governo português em vender acções que detém na HCB e de imediato o governo moçambicano manifestou a interesse em adquirir parte dessas acções.

Os dois governos acordaram em repartir os 15 % em duas metades e o acordo para a materialização desse interesse foi esta sexta-feira rubricado pelo Ministro da Energia de Moçambique, Salvador Namburete, e pelo secretário de Estado para o Tesouro e Finanças de Portugal, Carlos Costa Pina.


Namburete referiu que o governo indigitou “a Companhia Eléctrica do Zambeze pa
ra encarregar-se da adquisição das acções colocadas à disposição por Portugal e esse facto vai fazer com que o nosso país passe a deter 92.5% da hidroeléctrica passem para a gestão de Moçambique”.

O Governo português sugeriu que os restantes 7.5% fossem adquiridos por empresas portuguesas, sendo que a REN – Redes Energéticas Nacionais de Portugal é a entidade mandata para a analisar a possibilidade de adquirir estas acções.

Os valores desta transacção ainda não são conhecidos, sendo que a transferência dos 7.5% para a Companhia Eléctrica do Zambeze, que gere as acções do país na HCB, deverá estar concluída até 31 de Dezembro de 2010.

Alfredo Lituri

SAPO MZ

Comentários

Critério de publicação de comentários