Página gerada às 07:40h, sabado 01 de Novembro

- DHLAKAMA COMANDA ATAQUES A PARTIR DA SERRA DA GORONGOSA

25-02-2014 12:20:33


Maputo, 25 Fev (AIM) - Manuel Joaquim Gimo, guerrilheiro da “perdiz” recentemente capturado em Joacane, distrito de Morrumbene, em Inhambane, sul de Moçambique, diz que o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, está na Serra da Gorongosa, na província central de Sofala.

Gimo referiu que desde que as Forças de Defesa e Segurança tomaram a base de Santugira, em Outubro do ano passado, Afonso Dhlakama partiu em debandada para as colinas da Gorongosa, donde comanda as operações militares desencadeadas pela Renamo no centro do país.

Manuel Gimo foi capturado na passada sexta-feira juntamente com outros quatro guerrilheiros, nomeadamente Alexandre João Agostinho, Alberto João Calenga, Albertino Arriscado Chapenga e Felizardo Ângelo Muchanga, na posse de quinze armas de fogo do tipo AKM e respectivas munições.

Segundo anuncia o diário “Noticias”, eles faziam-se transportar numa camioneta quando foram neutralizados pela Polícia, após uma troca de tiros da qual não houve registo de danos humanos nem materiais.

As armas e respectivas munições tinham como destino a cidade da Maxixe e, na altura da captura estavam escondidas de entre vários sacos de milho e farinha.

Manuel Gimo disse que a operação era coordenada pelo líder da Renamo e que a ideia era a de retirar os guerrilheiros que se encontravam na Serra da Gorongosa, com todo o seu arsenal, com destino a Gombeza, posto administrativo de Canda, para se juntarem ao comandante John Augusto para novas missões.

A fonte disse que, Afonso Dhlakama, acompanha o curso dos acontecimentos em Maputo a partir de Gorongosa e, não obstante os avanços registados no diálogo político entre o Governo e a Renamo, nunca desistiu de reorganizar os seus homens e planear ataques contra alvos civis e militares.

Antes da detenção Gimo vivia na cidade de Dondo, na província de Sofala, e durante a guerra de desestabilização combateu em Cheringoma durante cinco anos.

Ele contou que no dia 19 de Fevereiro, em visita familiar no distrito de Nhamatanda, recebeu uma chamada telefónica do coordenador da segurança da Renamo, Manuel António, instando-o a preparar se para novas missões.

“Saí de Nhamatanda, na companhia de Manuel Lole, antigo deputado da Assembleia da República, com destino a Gombeza. Aqui juntamo-nos a um grupo de dez homens armados e partimos para um destino que não nos foi dado a conhecer”, contou.

Referiu que chegados a tal lugar pouco tempo depois estacionava um camião de marca Mitsubishi, com a chapa de inscrição AAZ 386 MC, conduzido por Marcelino Samuel Baraja.

Na verdade, frisou o interlocutor, este carregamento de armas tinha como destino a cidade de Inhambane, onde deveria ser entregue a um indivíduo cuja identidade não foi revelada, com o qual, Gimo ia interagindo via telefone celular.
(AIM)
MAD/SG

(AIM)

Comentários

Critério de publicação de comentários