Página gerada às 17:24h, quinta-feira 24 de Julho

MOÇAMBIQUE É UM DOS PAÍSES COM ELEVADO NÍVEL DE CRESCIMENTO DO IDH

17-03-2013 11:05:28


MAPUTO, 17 MAR (AIM) – O relatório do Programa da Nações Unidas para o Desenvolvimento da População (UNDP) sobre o Desenvolvimento Humano, lançado na última quinta-feira, no México, aponta Moçambique como um dos países com elevado nível de crescimento do Índice de Crescimento Humano (IDH).

Jennifer Topping, coordenadora residente das Nações Unidas e Representante do PNUD disse que o relatório deste ano (2013) aponta que Moçambique figura entre os 14 países que vem registando ganhos impressionantes no IDH, (acima de dois por cento ao ano) desde 2000.

“O relatório de 2013 mostra que Moçambique é um dos países com elevado nível de crescimento do IDH, tendo alcançado uma média de crescimento anual de 2.37% desde o ano 2000 e um crescimento acumulado de 51 por cento desde 1980”, especificou a representante residente das Nações Unidas em Moçambique.

Fonte do PNUD em Maputo que a AIM teve acesso revela que em ordem dos níveis de progressos figuram o Afeganistão, Serra Leoa, Etiópia, Ruanda, Angola, Timor-Leste, Mianmar, Tanzânia, Libéria, Burundi, Mali, Moçambique, República Democrática do Congo e Níger.

O Relatório do Desenvolvimento Humano de 2013, lançado sob o lema “A Ascensão do Sul: o Progresso Humano num Mundo Diversificado” aponta a Noruega, a Austrália e os Estados Unidos como sendo os países que lideram a classificação do IDH de 187 países e territórios, enquanto a República Democrática do Congo (dilacerada por conflitos) e o Níger (assolado pela seca), apresentam os valores mais baixo.

Topping destacou que porque o país teve um IDH inicial baixo (devido ao prolongado conflito), o IDH de 2012 contínua relativamente baixo (0.327), colocando Moçambique no grupo dos Países com os mais baixos Índices de desenvolvimento humano, classificando-se, neste ano, na posição 185 de um total de187 países.

Segundo Topping, o relatório deste ano é particularmente interessante para Moçambique.

“O interessante é que sendo este um país com uma economia em rápido crescimento, com uma importante agenda de redução de pobreza, o relatório sublinha o como é que paradigmas inovadores da transformação do crescimento económico em crescimento acelerado do desenvolvimento humano estão emergindo das experiências globais do Sul”, disse Topping.

A “Ascensão do Sul”, segundo o relatório, altera o equilíbrio de poderes a nível mundial facto que reconfigura radicalmente o mundo do século XXI onde nações em desenvolvimento assumem a liderança do crescimento económico, retiram centenas de milhões de pessoas da pobreza e levam milhares de milhões de outras a integrar uma nova classe media mundial.

A ascensão do Sul, segundo o relatório, tem decorrido a uma velocidade e escala sem precedentes, “nunca, na História, as condições de vida e as perspectivas de futuro de tantos indivíduos mudaram de forma tão considerável e tão rapidamente e, pela primeira vez, em muito séculos, o Sul, no seu conjunto, é o motor do crescimento económico global e das mudanças sociais.

Na África Subsariana o valor médio do IDH, situa-se em 0,475, sendo o mais baixo de entre as regiões, mas o ritmo de melhoria é crescente e, entre 2000 e 2012, a região registou um crescimento anual médio de 1,34 por cento, colocando-a em segundo lugar, logo após a Ásia do Sul, tendo a Serra Leoa (3,4 por cento) e a Etiópia (3,1 por cento) apresentado o crescimento mais rápido.

O relatório aponta que cerca de 40 países em desenvolvimento registaram ao longo das últimas décadas progressos significativos no seu IDH do que seria de prever, destacando que estas conquistas são em grande parte imputáveis a um investimento sustentado na educação, nos cuidados de saúde, programas sociais, bem como a um relacionamento mais aberto com um mundo cada vez mais interligado.
(AIM)
MAD/DT

(AIM)

Comentários

Critério de publicação de comentários