Página gerada às 15:37h, sexta-feira 22 de Setembro

ITÁLIA PODERÁ SER MAIOR INVESTIDOR ESTRANGEIRO EM MOÇAMBIQUE

18-06-2012 13:30:59


Maputo, 18 Jun (AIM) – O investimento italiano tem estado a crescer em Moçambique, devendo tornar-se no primeiro investidor estrangeiro no país durante os próximos anos.

O facto foi anunciado hoje, em Maputo, pelo embaixador cessante daquele país europeu, Carlo Lo Cascio, momentos após uma audiência com o Presidente moçambicano, Armando Guebuza, que serviu para fazer o balanço dos quatro anos da sua missão no país.

Segundo o diplomata, actualmente, o investimento italiano em Moçambique ronda os cerca de 150 milhões de euros. Por outro lado, o volume das trocas comerciais entre os dois países ronda a aproximadamente 400 milhões de euros, sendo a Itália um dos mais exportadores para Moçambique.

“Portanto, o terreno foi já preparado nos últimos anos. Agora, com a entrada da ENI, a Itália deverá ser, nos próximos anos, o primeiro investidor estrangeiro neste país. Será uma operação, muito importante, com novos desafios”, disse Lo Cascio.

A ENI é uma das empresas petrolíferas que se encontram envolvidas na pesquisa de hidrocarbonetos na bacia do Rovuma, particularmente na província nortenha de Cabo Delgado, local onde esta multinacional já descobriu a existência de reservas de gás natural.

Lo Cascio disse que, no encontro com o estadista moçambicano, as duas partes fizeram um balanço “extremamente positivo” dos resultados alcançados nos últimos quatro anos da sua missão, o que é ilustrado pelo aumento dos investimentos, trocas comerciais e a garantia da continuidade do apoio do seu país, apesar da crise económica que afecta a zona Euro.

“O balanço é extremamente positivo. A visita do nosso Ministro dos Negócios Estrangeiros da Itália (Giulio Terzi di Sant´Agata) a Moçambique no mês passado mostrou a nossa vontade de continuar a desempenhar um papel de referência em Moçambique e também no diálogo entre o governo e os doadores”, sublinhou a fonte.

As relações Moçambique/Itália datam desde antes da independência nacional, proclamada a 25 de Junho de 1975. Hoje, além das diversas intervenções, Itália é um dos parceiros que canalizam apoio directo ao orçamento geral do Estado.

Segundo o embaixador cessante, no próximo ciclo de 2013 a 2015, a Itália irá desembolsar um total de 15 milhões de euros, a serem repartidos por igual durante os três anos. Por outro lado, em geral, a Itália doa cerca de 20 milhões de euros anuais para diversos sectores de actividade.
(AIM)
MM/DT

(AIM)

Comentários

Critério de publicação de comentários