Página gerada às 06:36h, sexta-feira 31 de Outubro

VINTE IDOSOS MORTOS POR SUSPEITA DE FEITICARIA

16-06-2012 14:31:13


MAPUTO, 16 JUN (AIM) – Pelo menos 20 idosos foram mortos em Moçambique, entre os anos 2010 e 2011, acusados de feitiçaria e vários outros violentados sexualmente, psicológica e fisicamente.

Alguns deles foram privados de assistência alimentar, agravando, deste modo, a vulnerabilidade em que vive este grupo alvo.

Segundo o presidente do Fórum da Terceira Idade, António Sitoe, as acusações de feitiçaria são a causa dos crescentes actos de violência contra a pessoa idosa em Moçambique.

Sitoe falava, em Maputo, por ocasião das comemorações do Dia Internacional de Combate a Violência Contra o Idoso.

Dados do Gabinete de Atendimento à Mulher e Criança vítimas da violência doméstica na Polícia da República de Moçambique (PRM), indicam que só no primeiro trimestre do presente ano foram registados 60 casos de violência contra idosos, em apenas seis províncias do país.

Citado pelo jornal “Notícias”, em Moçambique, os idosos são sempre conotados com a feitiçaria e, por essa razão, não raras vezes são violentados e o mais grave é que, quando se dirigem à esquadra policial, não encontram resposta satisfatória à sua preocupação, o que agrava o seu sofrimento.

Para Sitoe, os índices de violência contra aquela faixa etária tende a aumentar no país, dai a necessidade de um redobrar de esforços para se combater este mal que vem conhecendo proporções alarmantes.

Sitoe recordou ainda que os idosos têm netos e muitas crianças órfãs a seu cargo, daí que violentá-los ou, no pior dos casos, matá-los é gerar sofrimento para muita gente e comprometer o futuro da humanidade.

Por seu turno Janeth Da Field, directora da organização não governamental Helpage, reconheceu que a situação da violência em Moçambique disparou, daí que seja necessária uma lei protectora da pessoa idosa.

“E preciso que haja vontade de todos os actores sociais para que se possa contornar este mal”, disse Da Field.

Um estudo realizado pela Helpage nos distritos de Boane, Manhiça e cidade da Matola, província de Maputo, constatou que em cada dez mulheres idosas inquiridas seis haviam sofrido violência e, em cada dez pessoas, pelo menos quatro haviam sofrido roubo, isto é, violência contra o património.

O estudo indica ainda que um em cada quarto dos idosos havia sofrido insultos e ameaças, ou seja violência psicológica, sendo os vizinhos, filhos, e netos os principais mentores desses actos de violência.

Da Field reconhece que há muitos casos de violência contra idosos não reportados, o que significa que existe muita gente que olha para este fenómeno de uma forma indiferente, para quem é preciso desenvolver um trabalho de sensibilização da sociedade para denunciar os actos às autoridades.
(AIM)
MAD/DT

(AIM)

Comentários

Critério de publicação de comentários