Página gerada às 17:05h, sabado 20 de Dezembro

MDN DIZ QUE CARREIRA DE SARGENTO É PRIORITÁRIA E INDISPENSÁVEL NAS FORÇAS ARMADAS

21-09-2011 17:49:15


BOANE (MOÇAMBIQUE), 21 SET (AIM) – O Ministro moçambicano da Defesa Nacional, Filipe Nyusi, diz que a categoria de Sargento é prioritária e indispensável no seio das Forças Armadas, e que é no sargento onde os soldados devem se inspirar e buscar confiança.

Falando hoje, na Escola de Formação de Sargentos “General Alberto Joaquim Chipande”, no distrito de Boane, Sul de Moçambique, no encerramento do Primeiro Curso de Sargentos Milicianos, Nyusi disse ser por isso que todo o sargento deve estar dotado de competências comportamentais, técnicas e práticas que o permitem desempenhar com zelo as suas funções, sobretudo na instrução de quadros e tropas.

De acordo com Nyusi, a manutenção de uma estrutura hierárquica com rigor e eficácia requeridos as forças armadas sempre aconselhou a existência de um escalão intermédio extremamente forte e complementar do corpo de comando.

“A categoria de Sargento é por si só uma carreira prioritária e indispensável nas Forças Armadas, razão pela qual a formação, a capacidade técnica e o comando são vertentes que se consideram indissociáveis de uma verdadeira carreira de sargento”, vincou Nyusi, numa cerimónia em que todos os cerca de 250 instruendos foram patenteados a furriéis, depois de terem jurado sacrifício na defesa da pátria e da nação moçambicana. Este curso incluiu ainda os que se formaram na especialidade da Banda militar e de Corneteiros.

Na óptica do titular da pasta da Defesa, ao Sargento, com qualificações e experiência inquestionáveis, não deve ser condicionada a promoção a oficial para poder desempenhar com zelo, competência e responsabilidade as funções ao seu nível.

Naquela mesma ocasião, Nyusi afirmou que as Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM) estão numa fase em que a sua acção não pode ser improvisada.

“Tudo deve ser planificado e antecedido duma formação e treinamento ”, sublinhou o Ministro, na cerimónia que também foi testemunhada por vários altos oficiais das FADM, entre outros convidados e familiares dos instruendos.

Aos que se especializaram em banda militar e corneteiros, Nyusi disse que evidências históricas ensinam que a música está ligada as acções militares desde os tempos remotos, não apenas como meio de comunicação no campo de batalha, mas também como elemento psicológico e um instrumento fundamental do cerimonial e da solenidade militares.

Segundo o Ministro, “a banda militar cumpre, o singular e insubstituível papel de reforçar a moral e o ânimo daqueles que se dedicam a profissão de armas”.
(AIM)
MZ/DT

(AIM)

Comentários

Critério de publicação de comentários