Página gerada às 17:46h, quinta-feira 21 de Setembro

O POSTE “PARIU” A LUZ EM SATUNGIRA

10-08-2017 23:34:33


Por Leonel Muchano, da AIM, em Sofala

Satungira (Moçambique), 10 Ago (AIM) – O regulado de Satungira, no distrito de Gorongosa, está desde hoje ligado a rede nacional de energia eléctrica, mercê da inauguração hoje pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, da linha que permitirá o acesso de mais moçambicanos energia e, por conseguinte, embarcar em programas de crescimento.

A electrificação do posto administrativo de Vunduzi, no regulado de Satungira, está inserida no Plano de Electrificação rural da província central de Sofala, e vai acelerar o seu desenvolvimento socioecónomico, no quadro de esforços do governo visando electrificar o país.

Satungira, nas encostas da serra da Gorongosa, foi, durante o período de hostilidades militares, em 2016, “teatro de operações” entre as forças de defesa e segurança e a guerrilha da Renamo, maior partido da oposição, que levou ao encerramento de diversas actividades e serviços, tais como a educação e saúde, para além de deslocar centenas dos pouco mais de 27 mil habitantes.

Porém, em Março o governo lançou a primeira pedra para o projecto cujas obras compreenderam a extensão de 45 quilómetros de rede de média tensão 33 Kilovolts (kv), seis quilómetros de rede de baixa tensão, contados a partir da sede distrital de Gorongosa até ao posto administrativo de Vunduzi, divididos em três secções.

Ao longo da linha, inteiramente financiado pela Electricidade de Moçambique (EDM), num valor calculado em 1,4 milhões de dólares americanos, foram montados oito postos de transformação. Na primeira fase estão previstas 210 ligações todas com contadores pré-pagos.

As regiões situadas ao longo da linha serão igualmente ligadas à rede de energia, nomeadamente os povoados de Mucoza, Tazaronda e Nhamadjiwa. A electrificação de Vunduzi foi motivada pela paz, através da qual se está a tornar realizável a extensão da corrente eléctrica.

Na ocasião, o Chefe de Estado, Filipe Nyusi, disse que a linha de transmissão de energia eléctrica que hoje inaugurada não vai parar ali, mas poderá se estender a outros pontos como é o caso de Nhauronga, Nhautchendje, Panga Panga ou mesmo até à Casa Banana.

Por seu turno, o presidente do Conselho de Administração (PCA) da EDM, Mateus Magala, disse que está cumprido o dever da empresa que consistia na construção de uma linha de energia com 45 quilómetros que liga a outros pontos do distrito de Gorongosa.

A linha, com um potencial para mil consumidores, tem, segundo Magala, já ligados 51 clientes e a EDM vai promover pacotes promocionais para que os interessados possam ter acesso a corrente.

“Com a provisão da energia, vimos surgir projectos que vão impulsionar a actividade económica”, disse Magala, apontado a título de exemplo as moageiras cuja entrada em actividade esperava a chegada da energia eléctrica.

Magala disse que o projecto, inicialmente concebido para ser instalado em seis meses, foi concluído em apenas três meses e meio, fruto da cooperação entre o governo, EDM e a Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB), que permitiu a mobilização de recursos fora do orçamento normal.
(AIM)
LE/SG


(AIM)

Comentários

Critério de publicação de comentários